Inflação sobe 0,42% em janeiro, pressionada por alta dos alimentos

 Foto: Acervo IBGE

 A inflação do país atingiu 0,42% em janeiro, desacelerando em relação ao mês anterior (0,56%). O aumento mais expressivo foi observado no grupo alimentação e bebidas, com uma alta de 1,38%, exercendo o maior impacto no índice do mês (0,29 p.p.). Essa elevação foi impulsionada por condições climáticas adversas, como altas temperaturas e chuvas intensas, afetando a produção agrícola.

O índice acumulado nos últimos 12 meses ficou em 4,51%. O gerente da pesquisa, André Almeida, destaca que o resultado de janeiro repete a tendência de dezembro, com os alimentos como principal influência no índice. A categoria de alimentação no domicílio registrou alta de 1,81%, com destaque para cenoura, batata-inglesa, feijão-carioca, arroz e frutas.

O grupo de transportes, o segundo com maior peso no IPCA, apresentou deflação de 0,65%, impactado pela queda de 15,22% nas passagens aéreas. Já os preços dos combustíveis, como etanol, óleo diesel e gasolina, diminuíram, contribuindo para conter o índice geral.

No setor de saúde e cuidados pessoais, houve aumento de 0,83%, impulsionado por itens como higiene pessoal, perfumes, plano de saúde e produtos farmacêuticos. Por outro lado, habitação teve alta de 0,25%, com destaque para a taxa de água e esgoto e o gás encanado, enquanto a energia elétrica residencial apresentou queda de 0,64%.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) abrange famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, fornecendo uma visão abrangente dos impactos inflacionários no país. O próximo resultado, referente a fevereiro, será divulgado em 12 de março.

Comentário

Este site é um espaço para discussão e debate de ideias. Todos os comentários são bem-vindos, desde que sejam feitos de forma respeitosa e construtiva.

Postagem Anterior Próxima Postagem