Produção de veículos cresce 1,3% em 2023, alcançando 2,20 milhões de unidades

 Associação destaca aumento nas vendas de veículos novos, mas aponta desafios nas exportações e na produção de caminhões e ônibus.

Getty Images

A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou hoje (10) um balanço sobre a produção de veículos no ano de 2023. De acordo com os dados apresentados, a produção cresceu 1,3%, totalizando 2,20 milhões de unidades, em comparação com as 2,37 milhões produzidas no mesmo período do ano anterior.

A Anfavea ressalta que, apesar do crescimento, os números poderiam ter sido mais expressivos caso as exportações não tivessem caído 16%, enquanto as importações aumentaram 29%. O segmento de caminhões e ônibus foi particularmente afetado, registrando uma queda de 37,5%, atribuída aos custos mais elevados das novas tecnologias de controle de emissões adotadas para atender à etapa P8 do Proconve, vigente desde janeiro de 2023.

As vendas de veículos novos, no entanto, tiveram um aumento significativo de 11,2%, alcançando 2,18 milhões de unidades emplacadas em 2023, em comparação com as 2,10 milhões do ano anterior. Considerando caminhões e ônibus, os emplacamentos de autoveículos atingiram 2.309 mil unidades, representando um crescimento de 9,7% em relação a 2022.

A Anfavea destaca que a média diária de emplacamentos cresceu consistentemente ao longo de 2023, chegando a 12,4 mil unidades por dia em dezembro, o melhor resultado dos últimos quatro anos. Esse desempenho foi impulsionado principalmente pelas locadoras, que adquiriram 75 mil unidades, 30 mil a mais que a média do ano anterior.

No entanto, as exportações enfrentaram uma queda de 16% ao longo do ano, com 403,9 mil unidades comercializadas no mercado externo. Essa diminuição foi atribuída às vendas em países como Argentina (-16%), Chile (-57%) e Colômbia (-53%).

Para o ano de 2024, a Anfavea estima um crescimento de 6,1% nas vendas (2,45 milhões de unidades), 6,2% na produção (2,47 milhões) e 0,7% nas exportações (407 mil unidades). O presidente da entidade, Márcio de Lima Leite, expressou otimismo, citando a expectativa de crescimento do mercado interno e a publicação da Medida Provisória nº 1.205, que instituiu o Programa Mover como fatores positivos para o setor automotivo brasileiro.

Comentário

Este site é um espaço para discussão e debate de ideias. Todos os comentários são bem-vindos, desde que sejam feitos de forma respeitosa e construtiva.

Postagem Anterior Próxima Postagem